domingo, 14 de setembro de 2014

FALANDO DE FÍSICA...

 
 
Ó vizinha Ingélica, venha cá! Que é que está para aí a fazer sozinha? A pensar na vida?
Ora deixe-se disso, pegue na renda e venha até cá!
 
 
  
                                                 ............................................
 
Tareco... Bes... bes... bes... Raios parta o gato que ainda me foge para a rua! Olha que não vou à tua procura, quero que te lixes!... Anda... lindo... vai p'ra tua caminha...
 
 
                                                ...............................................
 
 
Entre e vamos ali para o nosso cantinho. Já, já acabei as malhas e agora vou fazer umas rendinhas para as cortinas novas da cozinha. Veja... Não são lindonas?... Vossemecê bem sabe como eu gosto de fazer estas coisas!
 
Não tenho dedicado tanto tempo a isto porque tenho andado a estudar física.. Física, sim, mulher, qual é o espanto? Ou não sabe o que é física? Olhe é tudo o que estuda o físico por dentro e por fora! Pére aí, não me atrapalhe! É assim, sim senhora! Eu cá sou boa aluna, óviu? Ora essa!
 
Então é assim: a física, como eu ia dezendo, estuda o físico por dentro e por fora. O pior é que a coisa vê-se melhor é por fora... É que essa alma de chicharro (estou a referir-me à dita cuja física) tem uma amiga inseparável, uma tal de Gravidade, que é uma peste! E tudo isto por causa dum gaijo chamado Niutón que foi que a descobriu... O madraço gostava de se deitar à sombra da macieira e dormir a sua soneca... Vai daí, um dia... záz! Cai-lhe uma maçã na tola e logo ele começa para ali a inventar que os corpos isto, que os corpos aquilo... e pronto, começa a merda! Nunca mais nos vimos livres dessa gaija que, ainda por cima, tem a mania de puxar por tudo. Mas se ainda puxasse para cima... Mas não!!! Puxa tudo para baixo!!! Ai não, nunca viu? Nem precisa de vê-la, veja só os estragos... Olhe, debruce-se sobre um espelho veja o que lá está! A sua cara? É a sua cara é, mas já com as bochechas caídas qué uma desgraceira! Ah, mas não acontece só com a cara... também com o resto do corpo... Ah, pois, porque é que elas vão pôr silicone? Aaaaaaah... Demorou a perceber, chiça! Pois é, cai tudo para baixo e inté a nossa pachorra  praguentar este fadário! Raios parta o homem! Dormisse, comece as maçãs, fosse para o raio que o parta, mas deixasse essa peste ficar onde estava!
 
Calcule, que enquanto nós estamos aqui, tão sossegadinhas, sem nos metermos sem ninguém, a ordinária anda a desafiar-nos, mesmo debaixo dos nossos pés!  Bem dizia a minha avó que os trabalhos se alevantam de debaixo dos nossos pés! E tinha rezão! Mas eu só me apercebi disso agora que ando a estudar física, sabe lá... Dantes era muito nova, não ligava...
 
Mas o tipo ainda não se ficou por ali...  Como era muito espertinho, faz lá uma fórmula para calcular os estragos... Só há uma coisa que eu não percebo... Ele diz que os corpos se atraem na razão direta das massas e na inversa do quadrado distâncias... Não estou a armar-me em sabida, porra, estou a citar do livro... Mas como ia dizendo... . Ora , sinceramente, não sei oque é que as massas têm a ver com isto! O meu esparguete, por exemplo, é para aqui chamado? Não lhe chega a maçã ?! E o quadrado das distâncias? As distâncias não se medem em quadrados, tal tá a porra! Não é preciso ser muito esperta para saber que só se medem em linha reta, aos ziguezagues e, quando muito, em linha curva. Espera aí, não me atrapalhe o raciócinio... Pronto, eu explico!
 
Então é assim :em linha reta a distância a distância é mais curta porque sempre podemos dar uma corridinha ou um saltinho e chegamos lá mais depressa; aos ziguezagues é assim... sexta-sábado-domindo lá chego; às curvas, quando fazemos como o meu Tareco, que, de vez em quando se alevanta, dá muitas voltas e deita-se para o mesmo lado. É ou não, criatura? Diga-me lá se não estou a ver bem a coisa?! Ó faxavor, não me venha cá com tretas! Assim também eu era uma grande cientista! Mas também lhe digo: não precisava duma maçã para fazer tal descoberta!
 
Não senhora, não estou a tirar-lhe o valor! Sabe-se lá o problema que o homenzinho terá arranjado por causa da maçã! Já parecia o outro... O Adão, mulher, o Adão!!!
 
Pois é, e é por causa dessas e doutras que nós andamos aqui raladas com cremes e outras merdices do género... Ninguém me tira cá da cabeça que a gaija da Gravidade tem contrato com... Só gostava de conhecer essa tipa... Secalha não tem nem uma ruguinha, filha da p... Pronto, já me calei!... É como o Lavuásiér... Naqueles tempos havia uns gajos com uma pancada bem repenicada... Esse descobriu a tal da Impulsão. E dizem eles que não podem passar sem mulheres... Bem, mas essa pelo menos puxa para cima... Então no que é que ficamos?! Ai a merda! Andam a gozar c'agente, ou quê?... Uma mulher estuda estas coisas só para andar com a cabeça à razão de juros! Se paga juros?... Olhe, não me chateie que eu já estou a deitar fumo pelas ventas... O quê? Ai isso é vossemecê que é muito conservadinha... Mas olhe, já lá dizia a minha mãe que o que não tem remédio, remediado está... Temos de dar a mão à palmatória, quer a gente quera, quer não... O quê?! Ó vizinha, você dá comigo em maluca! Veja se percebe o que lhe digo porque já estou a ficar chateada...
 
Depois também estou preocupada com umas coisas. Hoje não digo... Já estou a ficar sem corda... Sim, porque isto dá-nos cabo da nossa massa cinzenta.... Ai a sua não é cinzenta... Não, deve ser cor-de-rosa... Só podia... Deve de ser de sonhar tanto... Vai lá, vai, quinté a barraca abana...  Não quer mais conversas? Tá visto que nem toda a gente tem inteligência à medida para perceber de física... Então vou buscar o chazinho e umas torradas, tá bem? Pelo menos ficamos com a alma mais confortada! Eu já volto...
 
                                                    .........................................
 
Pronto, já cá estou! Foi depressa? Eu sou muito despachada...
 
Ai... ai... ai... Ai a merda!!! Lá foi isto tudo  p'ró chão!!! Raistaparta a Gravidade que resolveu vingar-se! Grande p.... Pronto, já me calei! Mas também não sou mulher de desistir! Vou fazer outro chá e prontos! Uma mulher atrapalhada é pior que um polícia bêbado, nunca óviu dezer?
Não me diga mais nada que  já estou a ficar azeda... Com azia?... Olhe, vá mas é ver se estou lá fora! Tal tá a porra, tal tá ela... venha cá, criatura, não se vá sem tomar o chá! Ai esta mulher toma tudo à letra... Vá... sente-se la que eu já volto... Olhe, até o meu Tareco se levantou, coitadinho...

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

É NA SOLA DA BOTA...


É na sola da bota
É na palma da mão
Bota um sorriso na cara
Manda embora a solidão!
É na sola da bota.............


Ai vizinha, muito gosto eu desta musiquinha!...

Entre depressa que está frio!

Está frio mas eu já consegui aquecer a dançar esta moda!  Sou danadinha para dançar, vossemecê já sabe! Olhe, mesmo só, faço a festa, deito os foguetes e ainda vou apanhar as canas! Haja alegria, que eu quero cá saber que me critiquem! Se não gostarem de ouvir, ponham umas rolhas! Cada um diverte-se como quer, como pode e quando quer! Já a minha avó dizia" quem me fala por trás, fala-me a um buraco que eu tenho ao fundo das costas!" Acha que tenho a música muito alta? Também vossemecê?... Era só o que me faltava, estou na minha casa! Além disso não é tarde e está tudo acordado.
Só se for a gaja cá do lado  que chegou às tantas, vinda não sei donde. Mas hei-de saber. O que é que eu tenho a ver com isso? Nada! Eu quero lá saber da vida d'alguém! Olhe, se estiver a fazer ó-ó é para que saiba que já são horas de se levantar e tratar da casa. Faz-me cá uma confusão nunca a vi sacudir um pano do pó, aspirar... A merda pode chegar ao tecto que cá  isso não me incomoda... Ó porra, não posso falar? É sempre a mesma coisa, até parece que está a defendê-las!  Eu quero que ela vá para o raio que a parta, mas livre-se de me dizer alguma coisa por causa da música...leva logo que contar! Ai leva, leva... Anda-me cá atravessada... se me puxa pela língua vai ver... Graças a Deus não só gaga e falo bem o português. Experimente  que inté vai com o rabo entre as pernas...

É como esta cá de baixo é muito boa pessoa mas deixa a roupa pendurada na cordas sem conta. Outro dia sacudi para cima as migalhas da toalha e até assoprei as cascas da gaiola do meu Licas... O meu Licas é o canário, senhora! Ai isso é uma porcaria? Ai eu é que sou porca? Porca é ela que deixa a roupa a apanhar chuva e as cagadelas dos pardais, olha que coisa! E se ela me fizesse isso a mim?... Ah, aí outro galo cantaria! Levava-me cá uma que inté ia de esguelha! Não era a mesma coisa, não! Ela é uma porca e pronto!

Mas olhe lá, gostou dos pastelinhos de bacalhau? Que estavam bons sei eu... Para a semana dou-lhe filhoses e sonhos, quer? Então está bem. Quem faz? Sou eu, ora essa! Não sou como essa fedúncias que vão ali comprar à pastelaria do Zé. Eu sei fazer tudo e não tenho medo do trabalho nem de sujar as unhas. É nisso que eu me ocupo em vez de andar a falar na vida das vizinhas... A minha casa chega-me. Quero cá saber que comprem frigoríficos, máquinas de lavar e secar roupa! Olha, olha, logo eu! Aquelas máquinas são uma porcaria. Porquê? Olhe porque a roupa  sai de lá num oito! Pois, outro dia andei a correr para a janela por causa das camisas, isso é verdade. Olhe, se fosse esta cá de baixo deixava-as até ficarem bem remolhadas! Não é implicância, nãos. É a verdade! A roupa dela inté deve cheirar mal... Mas como eu estava a dizer, a roupa sai da máquina cheia de pregas e não há nada que as tire (nem o creme para as rugas com que a gaja besunta as ventas...
É verdade, outro dia íamos falar desta de cima... Não é dessa é da outra do lado esquerdo! A mulher passou-se, mais que me digam... O que foi? Então ainda não reparou nos cabelos dela? Até parece uma alcachofra! É preciso lata, senhora... E anda cá com umas botas mais bicudas. Quem levar um pontapé fica com um buraco no cú! Outro dia vi-a sair, toda sacudida e perfumada.rua.. Quando chegou mesmo ao meio da rua um salto da bota ficou entalado na calçada e ela parecia um zingarelho , a esbracejar, a ver se se equilibrava! Pudera, os saltos parecem uns palitos! Deu-me cá um ataque de riso que tive de me meter para dentro... Não, não caiu... mas ainda não perdi a esperança de vê-la bater com as ventas no chão! Ah! ah! ah!, ó mulher, deixe-me rir! A minha filha também usa daquilo? ... Olhe, não queira comparar e não me chateie, óviu ?! Olhe lá, o filho dela já anda com outra rapariga?
  
Ora, e vossemecê que soubesse alguma coisa... Não é bisbilhoteira? E eu sou?! Eu?!... Eu quero que las vão todas à fava enquanto a ervilha enche... Sei lá o que é que isso quer dizer Olhe,que vão à merda! Aposto que até se mordem de inveja...

Escute esta musica, escute! Esta também é boa para dançar! Lará-lará-lará!.... Até o gato se assustou? Qual quê, ele já está habituado! Ás vezes até danço com ele! Coitado,ele agora anda um bocado triste... Faz-lhe falta uma namorada? Não, que ele está "preparado"... Coitadinho... coitadinho porquê? Ora deixe-se dessas... Sabe uma coisa, era disso que alguns malandros que por aí andam precisavam! Porra, até que enfim me dá razão, caraças!..
 
Lará-lá-lá-lá... Olhe agora é uma valsa...Que rico programa!
 
Está a chover? Quero lá saber das camisas, que se lixem! Já para de chover e a seguir vem o sol e elas hão-de secar! Era só o que me faltava andar atrás da roupa...
 
Já se vai? Então venha cá à tarde tomar um cafezinho que eu vou fazer aquele bolinho de que a vizinha gosta. Sim? Então até logo!
 
Tam-tararam-tam-tam... Olhe, agora é um passo doble! Olé!!!
 
Não fuja mulher! Até mais logo!






sábado, 26 de abril de 2014

ESTOU FURIOSA!

 


Quem é? Quem?...

 

Ai vizinha, nem estava a conhecer a sua voz! Entre!

 

Estou, estou sozinha. Ainda bem que veio porque já estou cansada de estar para aqui nesta pasmaceira. O que me tem feito alguma companhia tem sido a televisão. Os programas não são grande coisa mas olhe que sempre servem para distraír um pouco, não é?

 

Com este tempo nem se consegue enxugar a roupa e também não apetece fazer nada. Raios parta a casa que nunca está arrumada e limpa! Andamos sempre a fazer o mesmo mas não resulta,  no outro dia já está tudo na mesma. A minha vontade é deixar a merda chegar ao teto. Mas é verdade, vizinha!

 

O gato? Que é que tem o gato? Olhe, os pelos do gato são o menos... Coitado do Tareco, inté é muito limpinho! Assim fossem os donos! Mas não... sapatinhos da rua servem para andar por casa mesmo que estejam todos encharcados. Diga-me lá, custa alguma coisa calçar a porra das pantufas? Que se lixa sou eu que tenho de andar sempre de cu para o ar a limpar a porcaria que eles deixam! Estou farta, furiosa com isto tudo! Lá porque estou em casa tenho de aguentar isto? Assim mais vale trabalhar a dias. Pelo menos ganha-se algum dinheiro.

 

O que é isto? São umas botinhas de lã que eu ando a fazer para oferecer no Natal. Aproveito bocados de lã e vou-me entretendo... São giras, não são?

 

É verdade, então gosta do nome que puseram à filha da Letícia? Qual Letícia?!... a miúda espanhola, a neta do rei de Espanha, porra! Vê-se logo que não lê revistas nem vê a televisão! Finalmente arranjaram o nome decente para a catraia! Quando ouvi falar em Covadonga ia-me dando uma coisinha ruim! Aquilo é lá nome de gente?! E depois como é que lhe chamavam!.... Donguinha? Olhe, poupe-me mulher! Esta gente anda toda maluca!

 Leonor está bem, é um nome bonito. E depois também já há muito tempo que não aparecia uma criança com aquele nome, Gostei.

 

Olhe, está outra vez a chover!!! Espere um bocadinho que vou tirar as camisas da janela.

 

Pronto, já está. Eu não lhe digo que não faço outra coisa?... Rastaparta a vida de dona de casa, sempre a fazer o mesmo... Isso é una merda! Esta daqui do lado, que não tem onde caír morta é que sabe todas... Veja lá se ela não tem uma mulher para lhe fazer tudo? Eu cá tenho a impressão de que nem comida ela faz. Levanta-se às tantas, não para em casa, não a vejo no mercado às compras, então como é? Não sabe? Nem eu! Nem quero saber porque isso não me interessa para nada. Estou-me nas tintas. Olhe, vossemecê sabe de uma coisa? Eu cá vou é comprar uma máquina que seque a roupa e deixo de andar sempre de patins o dia todo a caminho da janela por causa da chuva.

 

Mas voltando a esta daqui do lado: já viu o casaco que ela vestiu outro dia? Não, não é esse. É aquele de pele. O quê, é de raposa? Deixa-me rir... Qual raposa, qual carapuça! Se tem carapuça? Ó mulher não foi isso que eu disse! Ai que caraças, está sempre na lua, gaita! Ah, já percebeu... ainda bem. Mas olhe que aquilo não é raposa, não. Ela é que pensa que engana o zé povo com aquelas peles a fingir. Óspois aquilo não é para ela. Ora,porque é muito gorda e pequena e depois parece um novelo de pelo com duas pernas, ahahah!

 

Olhe, parece que já parou de chover.... Vou lá pendurar as camisas outra vez. Já venho!

Já está! Chiça, dei com o cu na quina do móvel! É por isso que ando sempre cheia de nódoas negras!

 

Mas vossemecê gosta de vê-la com aqueles casacos? Olhe, poupe-me!... Aquilo parece  uma aventesma, é o que é! Eu?!!! Inveja? É coisa que nunca tive, graças a Deus! Chega-me bem o que tenho. E depois também já lhe disse que tenho um casaco de pele de coelho que é bem bonito. Ehm?... Fica-me bem, pois fica. Eu não sou rodas baixas, tenho boa altura para vestir aquelas coisas... Sou vaidosa? Sou o que você quiser, mas chega para fazer dor de cotovelo a essas pirosas todas. Não preciso de pinturas para ficar bonita enquanto elas andam com as fuças todas caiadas não sei com quantas camadas de cremes que inté fazem medo ao susto! A minha nora também gosta de pintar os olhos cá duma maneira... Nem sei como o meu Fernando gosta daquilo... Enfim. Não, não, a rapariga inté é bonitinha, isso é. E boa mocinha mas também um bocado peneirenta! Nºao, não vou falar nas unhas dela, e se falasse? Ora, não me puxe pela língua...

 

São quase quatro e meia e daqui a pouco é noite... Estou furiosa e farta de estar em casa...O meu Adérito? Esse foi a um almoço com os colegas. A vida está para os homens e para as dondocas como esta daqui do lado... Outra vez? E então? Eu quero lá saber da mulher! Olhe, que se lixe! Tomara a minha vida para me dar que fazer!!!

 

Vai-se embora? Já?! Agora que eu ia buscar um cafezinho e um bolo que estive a fazer... Vá lá, sente-se mais um bocadinho. Ah, trouxe-me a caixinha que outro dia lhe dei com os pastéis de bacalhau? Obrigadinha. Então estavam bons? Olhe, ainda me sobraram alguns porque "os meus vizinhos" que costumam visitar-me nem apareceram cá em casa... Não sabe quem são? Pois não... mas eles sabem...

 

Bem, não quero ser aborrecida. Se quer ir então vá. Volte amanhã, traga a sua renda e então lanchamos as duas,está bem? Então venha mais cedo porque tenho umas coisas para lhe contar desta tipa cá de cima...

 

Merda! Lá está outra vez a chover! Desta vez tiro as camisas de vez! Já estou farta disto! Ó que raiva!!!

 

Adeus, vizinha, tenha uma boa noite!
 

 

terça-feira, 15 de abril de 2014

MAS QUE TELHA...

Vizinha, ainda bem que apareceu! É que eu hoje estou chateada sem saber porquê.Não lhe acontece? Verdade, verdadinha, não sei o que me deu... Pois é, vossemecês estão habituadas a ver-me sempre de taxa arreganhada e nem pensam que eu também tenho as minhas telhas. E olhe que às vezes são tantas que dão para cobrir uma casa... Ponho-me para aqui a pensar na morte de bezerra... e fico pior que estragada! Ah, mas agora já estou a ficar melhor! Um santo triste é um triste santo, nunca óviu dizer?
Hoje fui ao cabeleireiro, ali ao Caracol das Avenidas, como é hábito, para pintar o cabelo.Os filhos da mãe dos brancos já estavam a espreitar, raiosparta. Não é que tenha muito, mas assim fico melhor. Sabe quem eu vi lá?. A Lurdinhas, a filha da Doroteia. Lembra-se dela? Sim, essa a loirinha. A rapariga é muito bonitinha. Sai à mãe, felizmente, porque o pai é um estafermo, salvo seja! Não sei como aquela mulher se embeiçou naquilo. Lá bom homem é, mas mete medo ao susto! Mas olhe que mesmo assim o fulaninho é todo atiradiço! Ah, pois! E elas dão-lhe trela! Mas aquilo é só conversa. Eles inté se dão bem. A rapariga é que não teve sorte nenhuma com a velhaca da sogra que arranjou, coitada! Tem-lhe dado cabo da vida o estapôr da mulher! Sim, sim... Ela esteve-me a contar cá umas coisas quinté me benzi ca esquerda... Ah, vossemecê também sabe... Com aquelas ventas de buldogue e com falinhas mansas consegue levar sempre a água ao seu moinho. E o filho vai na conversa, parvalhão! A mocinha não é senhora de fazer seja o que fôr sem Só passar à censura daquele mostrenga. Depois é invejosa até dizer chega! Inté parece que fica verde quando vê alguma coisa que ela não tem! Porra, deita cada olho que até parece que faz bruxedo! Eu cá não vou com a cara dela, nunca fui. E digo-lhe, tomara nunca a encontrar! Ela e a minha fazem um grande par de jarras, chiça! Espero que a minha Sandra Vanessa tenha mais sorte! E depois sabe qual é o defeito dos homens? É emprenharem pelos ouvidos... E há mulheres que conseguem tudo o que querem! Filho e filho, mas porra, tudo tem os seus limites! Olhe eu cá não me meto na vida do meu e é o que eu faço melhor! Casamento - apartamento! A minha nora também o sabe levar.., Continua com as modernices... Agora tem daquelas unhas de loiça, ou o que é aquilo... Nem sei como é que ela faz a lida da casa. Secalhar com pinças! Eu disse PINÇAS, não comece!!! Já está a descarrilar! Ó mulher, vá mas é ao médico! Não é surda? Pois não, mas é pior do que isso. É treliada e distraída, qu'inda é pior! Pronto... não se amofine....  ahahahahah! Só vomecê é que me faz rir!

Da parte da tarde fui à Baixa.Não queira saber a quantidade de estrangeiros que por lá andava! Apanham-se com bom sol e boa comida e não querem outra coisa. Algumas, todas  descascadas, andam já vermelhas nem uns cachuchos! E quando chegarem os Santos Populares, aí é que vai ser uma festarola e bebedeiras de estilo. O povo é igual em todo o lado . Quer é música e fardamentos novos!

Mas falando de comida: não há nada como a nossa, pode crer. Quando fui a Espanha, se não fossema as sandochas e a fruta, tinha passado larica... Tou-lhe a dizer! No primeiro di
ainda a coisa escapou, com uns panaditos e uma sopa que se deixava comer, mas nos outros dias, ó caramba! Num dia ao jantar botaram-me no prato o raio duma sopa que eu inté fiquei a olhar para aquilo desconfiada. Era uma tomatada qualquer com um ovo em cima. Lá comi, com medo que o meu estrômago  reclamasse. Óspois veio um filete. Era de peixe, porque eu antes de o comer fiz-lhe a autópsia... Deixava-se comer... Atirei-me ao pão que nem lhe digo nada! Inté estava envergonhada, mas atão... Quem me tira a nossa comidinha, tira-me tudo!

Mas voltando à minha ida à Baixa: estava um calor e peras! Ó senhora, não é dessas peras Da rocha?... qual rocha?... Uhmmm....que pachooooooorraaaa que é preciso.... Sim, tá bem, passemos adiante... Onde é que vamos? Ó santinha, não vamos a lado nenhum! Deixe-se estar aí e escute-me, tal tá a porra, tal tá ela! Então  o que é que vossemecê quer se me faz perder a paciência?...  Caraças, já é terceira vez que eu começo com o assunto! Como ia dezendo, estava um calor e tanto e nos autocarros nem se respirava porque o ar acondicionado não funcionava, como sempre. Mas as gajas têm muito medo de abrir aquelas coisas que nem janelas chegam ser, com medo de desmanchar as melenas. Vai o Zé-povo ali a bufar com calor só para não ouvir as madamas. O quê?... De um comprimido precisa você... Bufar é asneira? Essa agora!!! Você não bufa, quer ver?! Há muitas formas de bufar e se não percebe, olhe, pa-ci-ên-cia. E isso a que se está a referir, também é preciso. Sabia que não se deve prender os ares? Faz muito mal... Tudo cá para fora! Olhe agora alembrei-me de uma coisa e inté me está a dar vontade de rir... É um bocado porco mas vou contar.

Um dia ia eu a subir a escada do Metro o gajo que ia à minha frente abriu a válvula e aí vai disto! É preciso ter lata! Fez barulho e... olhe nem lhe digo mais nada.... feeessss... Isso só comigo! O que ele precisava era que eu lhe espetassem o rabo com uma agulha! A propósito de agulha, lembrei-me de outra! Quando os meus filhos eram piquenos eu é que lhes fazia os casaquitos. Um dia levava as coisas num saco e, quando entrei para o autocarro empurraram-me e espetei o sim-senhor do que ia à minha frente, com uma das agulhas. Claro que pedi desculpa. Vai o gajo, vira-se para trás e, com a mão no rabo, diz-me assim: primeiro pica-me e depois  pede-me desculpa! Vai aí e respondi-lhe: atão? devia de pedir desculpa primeiro e picá-lo depois? Ele há com cada uma! Ahahahah!

Ai... ainda estou a pensar na Lurdinhas... Coitada da miúda... Mas sempre com um sorriso, benza-a Deus! Eles ali trabalham muito bem e por isso é que eu gosto de lá ir. Mas há uma que não me corta o cabelo porque eu não deixo. Uma vez fez-me para aqui uma avaria que inté parecia o Rod Stuart com os cabelos espetados! É verdade! Só com bastante laca é que conseguia segurá-lo, sabe lá! Nas minhas crinas só põe a mão, ou melhor, a tesoura, quem eu deixo, pois então!

Já se vai embora?!... Que horas são? Ai que são horas de botar o comer no lume! Isto as conversas são como as cerejas: uma vem atrás da outra. O quê?... Ó senhora, olhe... vá, vá lá fazer o jantar!

Inté amanhã... inté amanhã...

domingo, 13 de abril de 2014

VIZINHA (IN)DISCRETA

 
Ó vizinha venha cá,
Venha ver a Lianor
Aquilo é que é descarada,
Raio da moça, estupor!
Anda com a saia tão curta
Que traz quase o rabo à mostra!
Outro dia já lhe disse
E sabe qual foi a resposta?
"Ó mulher, o que é que quer,
Quem lhe pediu opinião?
O rabo é meu, e depois?!
Cale-se lá, pois então!"
Deu-me cá umas ganas
Que lhe ia indo às ventas!
Estas raparigas d'agora
São mesmo umas peneirentas...
Olhe o homem, olhe lá...
Até está parvo a olhar!
Quem lhe desse uma lambada
E o mandasse trabalhar!
Ela até faz de propósito,
Olhe lá, como rebola
Quem lhe acertasse com uma merda
Bem no centro da carola!
Malvada da rapariga
É mesmo provocadora,
Mas se volta a responder-me
Ainda leva com a vassoura!
E a filha da Etelvina!
É maluca como ela.
Essa, mal entra em casa
Põe-se logo à janela!
Esta daqui do lado
Também pensa que é boa...
Eu digo-lhe cá uma coisa
Que até lhe cresce a meloa...
A "meloa", ó senhora!
A meloa é a cabeça!
Não comece... não comece...
Veja lá não me aborreça!
Isto é só a gente a falar,
Não é ser má língua, não.
Tenho olhos para ver,
Ora essa, pois então...
O marido desta do lado
Beija o chão por onde ela passa.
Coitada, não tem espelhos,
Pra ver como está carcaça!
Ó mulher, deixe-me falar,
Não querem ver a chatice!
Ainda vossemecê  não viu
O que anda a fazer a Alice!
Essa também está na lista
Para ouvir um responso.
Tenho pena é do marido,
Coitado, pobre Afonso...
O que é?! Olhe, abra os olhos
Não ande sempre na lua,
Às vezes até parece
Que não mora cá na rua!
Olhe a Lianor,e olhe lá...
Olhe lá para o basbaque...
Vou-me embora lá para dentro
Antes que me dê um ataque!

Publicada no Escritor Famoso (Extra Concurso)



quinta-feira, 10 de abril de 2014

COM OS OLHOS EM BICO


Sou eu, vizinha, abra!...
 
Bom dia! Posso entrar?
 
Poça, está cá um frio! Lá voltamos nós às camisolas e às meias... Lá começam as malhas da ordem, os buraquinhos, enfim... Adeus bronze, até para o ano! Pode ser que o São Martinho ainda nos traga algum calor! Quanto mais não seja aquece-se com a água-pé!..
 
Ó vizinha, eu anda muito baralhada  com certas coisas que tenho ouvisto na televisão... O quê?..., Eu disse isso?! Pois e então não está bem?
Ouvisto - na TV - ouve-se e vê-se...
 
Bem, mas deixe lá isso! É assim: há já algum tempo esteve cá em Portugal um político negro a quem o Dr. Jorge Sampaio, ofereceu um colar. Ora o homem gostar de colares já não me admira nada, agora diz que o nosso lhe "impôs" o mesmo! Então isso é que é democracia?! Então isso é assim? Obriga-se as pessoas a usar uma coisa se elas não quiserem? Não percebo ou então sou muito burra.... Outra coisa que me intriga são os "altos" magistrados da Nação, as "altas" individualidades. Então os homens têm de ser todos altos! Chiça, isto é areia de mais para a minha camioneta!... Então os homens pequenos não prestam? Ora essa! Um dia vai ter de me explicar isso, tá bem?
 
Ai mulher, que frio... Inté tenho as perninhas arrepiadas...
 
Olhe, fui ao guarda fato e andei a experimentar a roupa de Inverno. Então não quer saber que há coisas que já não me servem de um ano para o outro? Pois é verdade, engordei... Isto é que é uma grandecíssima porra! Era só o que me faltava agora ter de gastar mais dinheiro. E logo numa altura destas... Não é que eu tenha a mania dos trapos, mas sempre temos de ter alguma coisa de jeito para uma ocasião diferente, não acha? Nem quero pensar se agora começo a engordar... Não penso nisso? Não, eu não quero pensar, mas pode acontecer! E depois nota-se é no rabo e na barriga... Vai a gente olha para as revistas e ainda se sente pior. Parece que é obrigatório termos corpos bem feitinhos, nas medidas, não podemos ter rugas, pelos, celulite e o raio-que-parta! Tudo o que dá um trabalhão do caraças a tirar! Trabalhão e dinheiro! Que merda!
 
N´s não podemos ter cabelos brancos - eles podem ser carecas; não podemos ter barriga - eles podem ter uma pança de nove meses e sentem-se o máximo; temos de ter boa perna - eles podem ter canivetes e, ainda por cima, rirem-se das mulheres; não podemos ter rugas-eles  deixam crescer a barba para encobrir as misérias. Bem... eu digo-lhe... até gosto de ver um gajo com barba! E se for grisalha... oh,oh... Mas olhe, nunca gostei de homens bonitos. Nã... Dão muito trabalho... As gajas não tiram os olhos deles! Como costuma dizer-se: um homem deve cheirar a cavalo! Não!!! Não é isso! Claro que não pode ser porco. Isto quer dizer que tem de ser... olhe... bem... pois... Olhe, não sei, porra!
 
Ai... xi.... está cá um frio... Nem sei como certas pessoas podem andar com as saias tão curtas. Já reparou na nossa vizinha, na morenaça daqui do lado? A Lianor, senhora, a Lianor! Tenho uma coisa para lhe contar mas fica para depois. Agora estou com frio e com pressa.
 
Olhe lá, tem um raminho de salsa que me empreste? É que eu vou fazer pastéis de bacalhau e sem salsa não têm graça nenhuma. Depois trago-lhe uns para o seu jantar porque sei que vossemecê gosta.
 
Ó que frio do caraças! Começo cedo a andar arrepiada... Sou friorenta pois sou, e então...
Ainda estou a pensar nos "altos" magistrados e naquela bodega toda. Tomara já que me explique isso. Agora não... outro dia... Há coisas que me põem os olhos em bico...
Bem... vou-me embora. Obrigadinha pela salsa.
 
Ai que frio que está cá fora!
 
Inté logo!